ARTIGOS GOSPEL BRASIL

As Sete Últimas Palavras de Cristo Reflexões para a Semana Santa

Rev. Dr. Mark D. Roberts

Nota: Você pode baixar este recurso gratuitamente, para uso pessoal ou para uso em um ministério cristão, contanto que você não o publique para venda. Tudo o que peço é que você reconheça a origem deste material:

Você também pode estar interessado em:

Inspiração diária para sua vida e trabalho. . .

Life for Leaders é um diário, devocional digital que é enviado todas as manhãs do Centro de Liderança Max De Pree, onde Mark trabalha. Este devocional, escrito por Marcos e sua equipe, ajudará você a fazer conexões entre Deus, as Escrituras e seu trabalho diário. Você pode conferir e / ou assinar aqui. Não há custo. Seu endereço de e-mail será usado somente para Life for Leaders. Você pode cancelar a inscrição facilmente a qualquer momento.

A Primeira Palavra: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que estão fazendo.” Lucas 23:34 2007, Linda ES Roberts. Para obter permissão para usar esta imagem, entre em contato com Mark.

Reflexão

Faz sentido que a primeira palavra de Jesus da cruz seja uma palavra de perdão. Esse é o ponto da cruz, afinal. Jesus está morrendo para que possamos ser perdoados pelos nossos pecados, para que possamos ser reconciliados com Deus pela eternidade.

Mas o perdão de Deus através de Cristo não vem somente para aqueles que não sabem o que estão fazendo quando pecam. Na misericórdia de Deus, recebemos seu perdão mesmo quando fazemos o que sabemos ser errado. Deus escolhe apagar nossos pecados, não porque tenhamos alguma desculpa conveniente, e não porque tenhamos nos esforçado muito para compensá-los, mas porque ele é um Deus de maravilhosa graça, com misericórdias que são novas a cada manhã.

Ao lermos as palavras: "Pai, perdoa-lhes", entendamos que também somos perdoados por Cristo. Como João escreve em sua primeira carta: “Mas se confessarmos os nossos pecados a ele, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a iniquidade” 1 João 1: 9. Porque Cristo morreu na cruz por nós, somos purificados de toda maldade, de todo último pecado. Estamos unidos a Deus Pai como seus filhos amados. Somos livres para nos aproximar de seu trono de graça com nossas necessidades e preocupações. Deus “removeu os nossos pecados tão longe de nós como o leste é do oeste” Sl 103: 13. Que ótima notícia!

Perguntas para Reflexão

Você realmente acredita que Deus perdoou seus pecados? Você toma tempo em uma base regular para confessar seus pecados para que você possa desfrutar da liberdade do perdão? Você precisa experimentar o perdão de Deus de uma maneira nova hoje?

Oração

Gracioso Senhor Jesus, é fácil para mim falar do seu perdão, até mesmo para pedir e agradecer por isso. Mas eu realmente acredito que estou perdoado? Eu sinto a liberdade que vem da certeza de que você me limpou de meus pecados? Ou eu vivo como se eu fosse "semi-perdoado"? Mesmo que eu tenha depositado minha fé em você e confessado meus pecados, eu vivo como o pecado ainda tem poder sobre mim? Eu tento me provar para você, como se eu pudesse ganhar mais perdão?

Querido Senhor, embora eu acredite em um nível que você me perdoou, essa incrível verdade precisa penetrar em meu coração de novas maneiras. Ajude-me a saber com nova convicção que estou completamente e finalmente perdoado, não por causa de qualquer coisa que tenha feito, mas por causa do que você fez por mim.

Que eu viva hoje como uma pessoa perdoada, abrindo meu coração para você, escolhendo não pecar porque o poder do pecado foi quebrado por sua salvação.

Todo o louvado seja para você, Senhor Jesus, pelo seu incomparável perdão! Um homem.

A Segunda Palavra: “Eu te asseguro, hoje você estará comigo no paraíso.” Lucas 23:43

Reflexão

Como Jesus pendurado na cruz, ele foi ridicularizado pelos líderes e soldados. Um dos criminosos que foram crucificados com ele acrescentou sua própria medida de desprezo. Mas o outro criminoso crucificado sentiu que Jesus estava sendo tratado injustamente. Depois de falar por Jesus, ele gritou: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino” v. 42.

Jesus respondeu a esse criminoso: “Eu te asseguro, hoje você estará comigo no paraíso” v. 43. A palavra paraíso, da palavra grega paradeisos, que significa “jardim”, foi usada no Antigo Testamento grego como uma palavra para o Jardim do Éden. No judaísmo da época de Jesus estava associado com o céu, e também com o futuro, quando Deus restauraria todas as coisas à perfeição do Jardim. Às vezes, pensava-se que o paraíso era o lugar onde os justos iam após a morte. Esta parece ser a maneira como Jesus usa o paraíso nesta passagem.

Assim, encontramos um dos versos mais surpreendentes e encorajadores de toda a Escritura. Jesus prometeu que o criminoso estaria com ele no paraíso. No entanto, o texto de Lucas não nos dá nenhuma razão para acreditar que esse homem tenha sido um seguidor de Jesus, ou mesmo um crente nele, em qualquer sentido bem desenvolvido. Ele poderia ter sentido pena de seus pecados, mas obviamente não se arrependeu. Em vez disso, o grito do criminoso para ser lembrado parece mais um esforço desesperado e último suspiro.

Embora devamos fazer todos os esforços para ter a teologia correta, e embora devamos viver nossas vidas a cada dia como discípulos de Jesus, no final, nosso relacionamento com ele se resume à simples confiança. "Jesus, lembra de mim", nós choramos. E Jesus, encarnando a misericórdia de Deus, nos diz: “Vocês estarão comigo no paraíso”. Somos bem-vindos lá não porque temos a teologia correta, e não porque estamos vivendo corretamente, mas porque Deus é misericordioso e temos ponha nossa confiança em Jesus.

Perguntas para Reflexão

Você apostou sua vida em Jesus? Você colocou sua confiança definitiva nele? Você sabe que, quando chegar sua hora, você estará com ele no paraíso?

Oração

Querido Senhor Jesus, como me pergunto pela sua graça e misericórdia! Quando clamamos a você, você nos ouve. Quando pedimos que você se lembre de nós quando entra no seu reino, você oferece a promessa do paraíso. Sua misericórdia, querido Senhor, excede tudo o que podemos imaginar. Ela nos abraça, nos encoraja, nos cura.

Senhor, embora minha situação seja tão diferente do criminoso que gritou para você, eu sou como ele. Hoje eu vivo, confiando em você e em você sozinho. Minha vida, mas agora e no mundo por vir, está em suas mãos. Então eu rezo:

Jesus, lembra de mim quando você entra no seu reino! Jesus, lembre-se de mim hoje, enquanto procuro viver dentro do seu reino! Um homem.

A Terceira Palavra: “Querida mulher, aqui está o teu filho.” João 19:26

Reflexão

Como Jesus estava morrendo, sua mãe estava entre aqueles que permaneceram com ele. A maioria dos discípulos masculinos havia fugido, com exceção de um a quem o Quarto Evangelho chama de "o discípulo que ele amava". Não podemos ter certeza da identidade desse discípulo amado, embora muitos intérpretes acreditem que ele é João, que é também aquele por trás da escrita deste Evangelho.

Não importa quem seja o discípulo amado, é claro que Jesus estava forjando uma relação entre esse discípulo e sua mãe, na qual o discípulo cuidaria de Maria financeiramente e de outras formas. Jesus queria ter certeza de que ela estaria em boas mãos após a morte dele.

A presença de Maria na cruz acrescenta humanidade e horror à cena. Somos lembrados de que Jesus era um ser humano real, um homem que havia sido um menino que já havia sido carregado no ventre de sua mãe. Mesmo quando ele estava morrendo na cruz como o Salvador do mundo, Jesus também era um filho, um papel que ele não negligenciou em seus últimos momentos.

Quando pensamos na crucificação de Jesus a partir da perspectiva de sua mãe, nosso horror aumenta dramaticamente. A morte de uma criança é uma das experiências mais dolorosas de todos os pais. Observar o amado filho sofrer a extrema tortura da crucificação deve ter sido inimaginavelmente terrível. Somos lembrados da profecia de Simeão logo após o nascimento de Jesus, quando ele disse a Maria: “E uma espada lhe perfurará a alma” (Lucas 2:35).

Essa cena nos ajuda a não glorificar ou espiritualizar a crucificação de Jesus. Ele era um homem de verdade, carne e sangue verdadeiros, um filho de mãe, morrendo de agonia insuportável. Seu sofrimento era totalmente real, e ele aceitou por você e por mim.

Perguntas para Reflexão

O que a presença de Maria na cruz evoca em você? Por que você acha que foi necessário que Jesus sofresse dores físicas quando ele morreu?

Oração

Senhor Jesus, a presença de sua mãe na cruz envolve meu coração. Você não é mais apenas o Salvador morrendo pelos pecados do mundo. Você também é um homem totalmente humano, um filho com uma mãe.

Senhor, como posso começar a agradecer pelo que sofreu? Minhas palavras são insuficientes. Meus pensamentos parecem superficiais e vagos. No entanto, ofereço minha sincera gratidão pelo seu sofrimento. Obrigado por carregar meu pecado na cruz. Eu te dou meu louvor, meu amor, meu coração. . . Tudo o que eu sou, porque você me deu tudo o que você é.

Todo louvor seja para você, Senhor Jesus, totalmente Deus e plenamente humano, Salvador do mundo. . . meu Salvador! Um homem.

A Quarta Palavra: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” Marcos 15:34

Reflexão

Quando Jesus estava morrendo na cruz, ele repetiu o início do Salmo 22, que diz:

Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou? Por que você está tão longe quando eu gemo por ajuda? Todo dia eu chamo a você, meu Deus, mas você não responde. Toda noite você ouve minha voz, mas eu acho sem alívio. vv. 1-2

Nas palavras do salmista, Jesus encontrou uma maneira de expressar o grito de seu coração: Por que Deus o abandonou? Por que seu pai virou as costas para Jesus em seu momento de maior agonia?

Este lado do céu, nunca saberemos plenamente o que Jesus estava passando neste momento. Ele estava fazendo essa pergunta porque, no mistério de seu sofrimento encarnacional, ele não sabia por que Deus o abandonara? Ou seu grito não era tanto uma pergunta quanto uma expressão de profunda agonia? Ou foi os dois?

O que sabemos é que Jesus entrou no inferno da separação de Deus. O Pai o abandonou porque Jesus tomou sobre si a penalidade pelos nossos pecados. Nesse momento excruciante, ele experimentou algo muito mais horrível que a dor física. O amado Filho de Deus sabia o que era ser rejeitado pelo Pai. Como lemos em 2 Coríntios 5:21, “Deus fez aquele que não tinha pecado ser pecado por nós, para que nele nos tornássemos a justiça de Deus” (NVI).

Eu posso escrever estas palavras. Eu posso dizer, verdadeiramente, que o Pai abandonou o Filho por nossa causa, pela salvação do mundo. Mas posso realmente entender o mistério e a majestade dessa verdade? Dificilmente. Como Martinho Lutero disse certa vez: “Deus, abandonando a Deus. Quem pode entendê-lo? ”No entanto, até mesmo minha minúscula compreensão dessa realidade me chama à confissão, à humildade, ao culto, à adoração.

Perguntas para Reflexão

Você já teve tempo para considerar que Jesus foi abandonado pelo Pai para que você não fosse? O que essa "palavra" da cruz significa para você?

Oração

Ó Senhor Jesus, embora eu nunca compreenda completamente a maravilha e o horror de seu abandono pelo Pai, toda vez que leio essa “palavra”, fico impressionado com gratidão. Como posso sempre te agradecer pelo que você sofreu por mim? O que posso fazer além de me oferecer a você em gratidão e louvor? Obrigado, querido Senhor, pelo que você sofreu. Obrigado por tomar o meu lugar. Obrigado por ter sido abandonado pelo Pai para que eu nunca mais fosse.

Quando examino a maravilhosa cruz em que morreu o Príncipe da Glória, meu ganho mais rico, conto apenas a perda e despejo desprezo em todo o meu orgulho.

Proibida Senhor, que eu me glorie, Salve na morte de Cristo, meu Deus, todas as coisas vãs que mais me encantam, eu as sacrifico ao seu sangue.

Veja, de sua cabeça, suas mãos, seus pés, tristeza e fluxo de amor misturado para baixo, Será que tal amor e tristeza se encontram, Ou espinhos compõem uma coroa tão rica.

Eram todo o reino da natureza meu Que era um presente pequeno demais Amor tão surpreendente, tão divino Exige minha alma, minha vida, meu tudo

"Quando eu pesquisar a cruz maravilhosa" por Isaac Watts 1707

A Quinta Palavra: "Estou com sede". João 19:28

Reflexão

Sem dúvida, Jesus sentiu uma sede extrema ao ser crucificado. Ele teria perdido uma quantidade substancial de fluido corporal, tanto sangue quanto suor, através do que ele havia sofrido antes mesmo da crucificação. Assim, sua afirmação "Estou com sede" foi, no nível mais óbvio, um pedido de algo para beber. Em resposta, os soldados deram a Jesus “vinho azedo” v. 29, uma bebida barata comum entre pessoas de classe baixa no tempo de Jesus.

João observa que Jesus disse “estou com sede”, não apenas como uma declaração da realidade física, mas também para cumprir a Escritura. Embora não haja uma referência específica no texto do Evangelho, é provável que João estivesse pensando no Salmo 69, que inclui essa passagem:

Seus insultos quebraram meu coração, e estou em desespero.Se apenas uma pessoa iria mostrar alguma pena, se apenas um virasse e consolasse-me.Mas em vez disso, eles me dão veneno para comida, eles me oferecem vinho azedo para a minha sede. vv. 20 a 21

Ao sofrer, Jesus encarnou a dor do povo de Israel, aquilo que havia sido capturado nos Salmos. Jesus estava sofrendo pelo pecado de Israel, assim como ele estava tomando sobre si o pecado do mundo.

Ao refletir sobre a afirmação de Jesus: "Estou com sede", continuo pensando em minha própria sede. Não é nada parecido com o de Jesus. Pelo contrário, estou com sede por ele. Minha alma anseia pela água viva que Jesus fornece João 4:10; 7: 38-39. Regozijo-me com o fato de ele ter sofrido sede física na cruz - e muito mais - para que minha sede pela água da vida se apagasse.

Perguntas para Reflexão

Como você responde à declaração de Jesus “tenho sede”? O que essa declaração sugere a você sobre Jesus? Sobre si mesmo?

Oração

Ó Senhor, mais uma vez te agradeço pelo que sofreu na cruz. Além da dor extraordinária, você também experimentou uma sede extrema. Tudo isso foi parte integrante de sua tomada em nossa humanidade para que você possa tirar o nosso pecado.

Querido Senhor, em suas palavras “estou com sede” ouço o clamor do meu próprio coração. Eu também estou com sede, Senhor, não por bebida física. Eu não preciso de vinho azedo. Pelo contrário, eu preciso do novo vinho do seu reino para inundar minha alma. Eu preciso ser refrescado pela sua água viva. Eu anseio por seu Espírito me encher mais uma vez.

Estou com sede, Senhor, por você. Um homem.

A Sexta Palavra: “Está consumado!” João 19:30

Reflexão

Eu nunca vi um filme mais difícil de assistir do que A paixão de Cristo, de Mel Gibson. Durante a maior parte do filme eu quis evitar meus olhos. Foi horrível assistir até uma versão cinematográfica de uma crucificação. E foi além da compreensão pensar que isso realmente aconteceu com alguém, e não apenas qualquer um, mas meu Senhor e Salvador. Eu havia estudado a crucificação antes e sabia em minha mente o que Jesus experimentou. Mas ver uma apresentação visual de seu sofrimento era quase mais do que eu poderia suportar. Quando a Paixão de Cristo terminou, senti um alívio palpável. Graças a Deus foi terminado.

Quando Jesus disse “Está terminado”, certamente ele estava expressando alívio pelo fato de seu sofrimento ter acabado. “Está terminado” significava, em parte, “Isto está finalmente pronto!” Mas o verbo grego traduzido como “Está acabado” tetelestai significa mais do que apenas isso. Eugene Peterson capta o sentido pleno do verbo em A Mensagem: “Está feito. . . completa. ”Jesus cumpriu sua missão. Ele anunciou e inaugurou o reino de Deus. Ele revelou o amor e a graça de Deus. E ele incorporou esse amor e graça morrendo pelo pecado do mundo, abrindo assim o caminho para que todos vivessem sob o reino de Deus.

Porque Jesus terminou seu trabalho de salvação, você e eu não precisamos adicionar a isso. Na verdade, não podemos. Ele realizou o que nunca pudemos, levando nosso pecado sobre si mesmo e nos dando sua vida em troca. Jesus terminou aquilo para o qual ele havia sido enviado, e nós somos os beneficiários de seu esforço único. Por causa do que ele terminou, você e eu nunca estamos “acabados”. Temos esperança para esta vida e para a próxima. Sabemos que nada pode nos separar do amor de Deus. Um dia, o que Deus começou em nós também será terminado, por sua graça. Até esse dia, vivemos na confiança do grito de vitória de Jesus: "Está consumado!"

Perguntas para Reflexão

Você vive como se Jesus tivesse terminado a obra da salvação? Para você tem confiança de que Deus vai terminar o que ele começou em você?

Oração

Como posso encontrar palavras para expressar minha gratidão a você, querido Senhor Jesus? Você fez isso. Você terminou aquilo pelo qual você foi enviado, fiel na vida, fiel na morte. Você realizou o que nenhuma outra pessoa poderia fazer, levando o pecado do mundo sobre seus ombros sem pecado. . . tomando meu pecado para que eu possa receber seu perdão e nova vida.

Todo louvado seja para você, Senhor gracioso, por terminar a obra da salvação. Todo louvado seja para você, querido Jesus, por me salvar! Aleluia! Um homem.

A Sétima Palavra: “Pai, confio o meu espírito nas tuas mãos!” Lucas 23:46

Reflexão

Duas das últimas sete "palavras" de Jesus foram citações dos Salmos. Antes, Jesus tinha o Salmo 22: "Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou?" Para expressar sua angústia. Mais tarde ele pegou emprestado do Salmo 31, que nos vem de Lucas como “Pai, eu confio meu espírito em suas mãos”.

Em um nível óbvio, Jesus estava colocando seu futuro pós-morte nas mãos de seu Pai Celestial. Era como se ele estivesse dizendo: "O que quer que aconteça comigo depois que eu morrer, é sua responsabilidade, pai."

Mas quando olhamos com atenção para o Salmo que Jesus citou, vemos mais do que aquilo que, a princípio, encontra nossos olhos. O Salmo 31 começa com um grito de ajuda divina:

Ó SENHOR, eu vim a ti em busca de proteção, não me deixe em desgraça. Salve-me, pois você faz o que é certo. v. 1

Mas então se mistura pedindo a libertação de Deus com uma confissão da força e fidelidade de Deus:

Confio meu espírito em sua mão. Salve-me, SENHOR, porque você é um Deus fiel. v. 5

No final, o Salmo 31 oferece louvor da salvação de Deus:

Louvai ao SENHOR, pois ele me mostrou as maravilhas de seu amor infalível. Ele me manteve seguro quando minha cidade estava sob ataque. v. 21

Citando uma porção do Salmo 31, portanto, Jesus não apenas confiou seu futuro ao seu Pai, mas também sugeriu que ele seria libertado e exonerado. Não, Deus não o livraria da morte por crucificação. Mas além dessa morte horrível, havia algo maravilhoso. “Confio meu espírito em suas mãos”, aponta para o sofrimento familiar de Davi no Salmo 31 e avança para a ressurreição.

Perguntas para Reflexão

Você colocou sua vida e, na verdade, sua vida além desta vida, nas mãos de Deus? Como você experimenta a salvação de Deus através de Cristo em sua vida hoje?

Oração

Gracioso Senhor, assim como você uma vez confiou seu espírito nas mãos do Pai, assim eu dou minha vida a você. Eu confio em você e você sozinho para ser meu Salvador. Eu me submeto à sua soberania sobre a minha vida e busco viver apenas para a sua glória. Aqui estou, Senhor, disponível para você, agora e no futuro.

Quão bom é saber, querido Senhor, que a cruz não foi o fim para você. Ao confiar seu espírito nas mãos do Pai, você fez isso antecipando o que estava por vir. Então refletimos sobre sua morte, não em desespero, mas em esperança. Com a Sexta-Feira Santa para trás, o Domingo de Páscoa está no horizonte. Um homem.
As Sete Últimas Palavras de Cristo Reflexões para a Semana Santa As Sete Últimas Palavras de Cristo Reflexões para a Semana Santa Reviewed by Pastor Ivo Costa on outubro 06, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.